JUNIBEE NEWS #1


POR QUE FAZER UMA NEWSLETTER DURANTE UMA

PANDEMIA?!

 

A junibee entende esse momento disruptivo como uma

oportunidade de crescimento profundo. Durante nossa

atuação enquanto uma marca vegana & sustentável

fizemos collabs importantes, aperfeiçoamos nossos

produtos, lançamos novas frentes de produção e

juntamos uma base de seguidores significativa e agora é

a hora trocarmos boas informações — que nos tragam

consciência e renovem nossas baterias para seguirmos

construindo o mundo que queremos.

Afinal, como diz a linda oração do povo nativo americano

Hopi, nós somos aqueles que nós mesmos estávamos

esperando.

Desejamos que vocês aproveitem essa leitura e que sigam

inspirados! Para entrar nos links é só clicar nos quadros ;)

Nas últimas semanas diversos locais do mundo tiveram manifestações

antirracistas. Nós da junibee apoiamos essa causa e somos

totalmente contra qualquer tipo de opressão. Somos uma marca

que confia na micropolítica de ter uma cadeia de produção digna

para todos os envolvidos, em todos os processos, até o produto chegar

na mão do consumidor final. Nos preocupamos e garantimos que todas

nossas matérias primas sejam de qualidade e que sua procedência e

confecção não estejam em desacordo com nossa ética. Nos

preocupamos e garantimos que todas as pessoas envolvidas tenham

cargas horárias e remuneração justas, sem exploração de seus

trabalhos.

Às vezes nos questionam: Como vocês podem defender o veganismo,

alimentação consciente, consumo de agroecológicos em um mundo

com tantas outras pautas urgentes?! Sim, é um paradoxo. Mas a gente

inverte a pergunta: como não defender veganismo, alimentação

consciente, consumo de agroecológicos em um mundo com

tantas pautas urgentes quando você entende a relação entre

todas essas pautas, tal qual uma teia bem tecida de malha bem

apertada?

Muitas vezes as lutas ambientais são consideradas elitizadas. Mas nós

entendemos que é uma luta urgente e legítima, pois sabemos bem

quem são os mais impactados das grandes catástrofes naturais (vide a

forma desigual que a pandemia alastra a população mundial). Então

nas últimas semanas estudamos um pouco mais e chegamos em um

conceito muito interessante chamado Racismo Ambiental, uma criação

do Dr. Benjamin Franklin Chavis. Aqui no Brasil quem fala muito sobre o

tema é a arquiteta e ativista negra Stephanie Ribeiro.

RACISMO AMBIENTAL

Um outro projeto super legal que conhecemos foi o ECOA, uma

plataforma que conta histórias de pessoas, empresas e organizações

que atuam para construir um futuro sustentável. Disponível também

em app, o portal faz jornalismo de qualidade em um colab entre o UOL

e coletivos independentes. Uma editoria do ECOA que foi muito

inspiradora por aqui foi a Escritos da Crise, que reúne textos atuais

de importantes pensadores atuais, como Angela Davis, Airton Krenak,

Judith Butler e Peter Sloterdijk e Achille Mbembe, dentre outros.

ECOA

FALANDO EM KRENAK...

Falando em Krenak, #ficaadica de dois projetos de autoria do líder

indígena, ambientalista e escritor que tocaram nossos corações com

sua poética acerca de questões ambientais: o ensaio O Tempo,

disponível para leitura na coletânea de textos produzida pela n-1

edições; e o e-book O Amanhã não está à venda, da Companhia das

Letras, disponível para download gratuito pela Amazon.

"O vírus está querendo nos "desligar", tirando nosso oxigênio. Quando

a Covid-19 ataca os pulmões, o doente precisa de um respirador, um

aparelho para alimentação de oxigênio, se não ele morre. Quantas

máquinas dessas vamos ter de fazer para sete bilhões de pessoas no

planeta? A nossa mãe, a Terra, nos dá de graça o oxigênio, nos põe

para dormir, nos desperta de manhã com o sol, deixa os pássaros

cantarem, as correntezas e as brisas se moverem, cria esse mundo

maravilhoso para compartilhar, e o que a gente faz com ele?"

Ela, que é colunista da Marie Claire, escreveu esse texto sobre o

assunto. A matéria é do ano passado, mas está mais atual do que

nunca. A gente super indica a leitura!

NA VIBE DOS E-BOOKS

Ainda na vibe dos e-books (que são tendência, for sure), a marca

gaúcha, vegana e sustentável, Insecta Shoes (que a gente adora!),

lançou uma série de livros virtuais no esquema pague-o-quanto-puder.

A gente fez download de todos e adorou demais o conteúdo. Dica

preciosa, viu?!

ECONOMIA DA ROSCA

Uma reportagem que saltou aos olhos foi uma do The Guardian que

conta a boa nova de que Amsterdam vai adotar a Economia Donot no

pós-covid! Se você se perguntou WTF is this, a gente explica:

Economia Donut: Uma alternativa ao crescimento a qualquer

custo, é um livro de 2017 da economista Kate Raworth. Nele a autora

propõe um sistema no qual as necessidades de todos serão

satisfeitas sem esgotar os recursos do planeta. Para ilustrar esse

ponto de equilíbrio, a autora desenhou o icônico gráfico similar a um

donut, daí o nome!

EXISTE MUNDO PRA TODO MUNDO?

Infelizmente nem todos os governos têm intenção de, como em

Amsterdam, adotar modelos mais conscientes de consumo dos recursos

naturais. :( E é sobre isso que a pesquisadora Deborah Danowski fala

nessa entrevista para a Pública, defendendo que sem medidas

públicas radicais, não tem mais mundo para todo mundo. Apesar de

difícil, a entrevista e o ponto de vista da pesquisadora são muito

lúcidos e nos colocam a par da falta que faz essa pauta ser

considerada prioridade.

PRETÉRITO IMPERFEITO

E para finalizar essa primeira newsletter trazendo leveza, afinal todos

nós estamos precisamos, que tal repensarmos nossos modelos perfeitos

de vida e assumirmos nossas fissuras?! A matéria é da amada Natália

Albertoni, que é colunista da Hysteria e traz a boa nova de que

o futuro será imperfeito.

 

 

Um amor em forma de newsletter para pensar sustentável.

Escrito por Fernanda Polse em junho de 2020.