como comecei a junibee 
por @fe.albertoni, fundadora da junibee

Criei a junibee no meio de um divórcio de um casamento que virou um pesadelo.

Fora do mercado de trabalho, depois de anos morando entre Estados Unidos, França e Suíça, e criando meus dois filhos adolescentes, eu decidi voltar ao Brasil e precisava trabalhar.

Enquanto planejava um retorno ao consultório, já que a minha formação é em nutrição, comecei a inventar coisas pra minha própria casa que eu não encontrava no mercado. Às vezes eram coisas simples, como um produto de limpeza ou um desodorante natural e não tão caros. Às vezes mais complexas, como o paninho de cera para substituir o plástico. E quanto plástico!

Fui entendendo que essas soluções práticas serviriam outras pessoas também e comecei a vender as criações primeiro entre amigos e familiares. Surgiram mais pedidos de amigos desses amigos.

Sem background em administração ou business plan e com apenas R$ 2000 para investir, comecei a junibee, que é uma homenagem ao nome dos meus filhos, Juliana e Nicholas.

Durante essa caminhada de altos e baixos aprendi muitas coisas:
- apreciar os processos e o aprendizado constante
- absorver que sempre temos espaço para melhorar. e que isso é ótimo!
- aceitar que não existe momento certo. se você tem uma ideia o momento é agora. o resto se aprende ao longo do caminho
- ser fiel ao seu próprio propósito

Há um tempo ouvi a frase “The more you experience in life, the more you have to offer others”. Sempre que estou insegura para tomar uma decisão ou fazer algo novo, eu me lembro dela. Quanto mais aprendemos e tentamos, mais podemos oferecer e ajudar aos outros.

Acredito que sempre existe uma razão por trás de tudo. Às vezes o que não dá certo pode ser um benção no futuro. Seguindo o que acredita, sua história, com ética e respeito, coisas boas virão.